The Ultimate Demigod

Ir em baixo

The Ultimate Demigod

Mensagem por Daniel L. Chassot em Ter Nov 15, 2011 12:39 pm

Capítulo 1 - Meu Ano-Novo termina mal


Era um dia normal em minha vida,eu estava indo pra escola para realizar meu último teste.Após isso,finalmente iríamos ficar de férias.Eu estava na minha sala de aula,com meus amigos enchendo o saco.Eles ficavam perguntando qualquer dúvida para o professor,e os professores não conseguiam dar a revisão.Nesse dia,eu descobri que minha vida estava prestes a mudar.
Desculpe por não me apresentar,meu nome é Steven,tenho 16 anos e moro em Nova York.Meus pais morreram quando eu nasci,e eu vivi a maior parte da minha vida morando sozinho na casa que eles deixaram pra mim.Mas mesmo com a casa e a herança que me deixaram,eu me sinto sozinho a maior parte do tempo.
Voltando a história, eu estava em minha sala tentando ter uma revisão,quando um aluno levantou o braço:
- Professor,eu não entendi direito isso daqui.
E nessa enrolação,perdemos todo o tempo de revisão e fomos pro teste.A avaliação iria durar 3 horas e meia,e seria de todas as matérias.Vários alunos tentaram convencer os professores que era muito pouco tempo,porém eu sempre consegui fazer meu teste com todo o tempo disponível.Dessa vez não foi diferente.
Na saída da escola,encontrei alguns dos meus amigos conversando.
- Cara...acho que fui mal nesse último teste.
-Porque? - Perguntei
- Eu estava no meio de um cálculo enorme e havia deixado um monte de questões em branco,aí faltando meia hora pra terminar eu me apressei e respondi tudo sem pensar.Acabei deixando muitas questões em branco.
-Bem, eu consegui terminar tudo com 15 minutos faltando. - Respondi, eu não fazia ideia de como, mas eu sempre tinha tempo suficiente pra terminar minhas provas sem ficar apressado.
- Não sei como você consegue Steven...Eu tenho inveja de você.
Outra coisa que eu estranhava,quando eu ficava em dúvida em uma questão,eu conseguia me lembrar do momento que o professor havia falado daquele conteúdo em sala e escrevia na prova como se estivesse anotando o que ele dizia.Aquilo sempre me ajudava bastante.
- Bem, acabaram as aulas. Vocês tem algum plano pro Ano-Novo? - Perguntou Davis,um amigo meu.Ele sempre andava com gorro na cabeça e tinha um cavanhaque que era estranho pra alguém da idade dele.
- Eu estava pensando na ideia, estava pensando em chamar todos os nossos amigos pra virem lá na minha casa,comemorarmos. - Respondi
- Steven...Não acho muito boa ideia - Respondeu Davis.
- E porque não seria? - Perguntei a ele,mas antes dele me responder,um dos nossos amigos "populares' chegou e interrompeu ele
- Você vai dar uma festa na sua casa? - Ele me perguntou.
- Sim,mas.... - Novamente,ele nos interrompeu.
- Aí galera, o Steven vai fazer uma festa na casa dele pra comemorar o Ano-Novo,e convidou todo mundo!!
De repente a notícia se espalhou pela escola toda,e eu percebi que a festa ia ser uma bagunça total.
- Era por isso que eu disse que não era uma boa ideia,Steven.... - Respondeu Davis
-Ah relaxa,tudo vai dar certo.
Isso foi até chegar o dia da festa,eu havia chamado Davis para nós arrumarmos tudo para aquele tanto de convidados que viria.O problema é que os convidados chamaram ainda mais convidados.Ficou uma desordem total.
- Por favor pessoal, vamos parar de jogar futebol americano no jardim. Vocês aí, parem de ficar enfiando a cabeça do garoto na privada....
A realidade, eu estava detestando a ideia,porém eu já havia cometido o erro. Estava indo tudo muito bem,até eles entupirem o banheiro e fazerem tudo ficar alagado.Aquilo em deixou totalmente irritado.Eu não contive minha fúria.
- Saiam todos da minha casa!!! - Gritei isso e fechei os olhos e coloquei as mãos na cabeça,então 1 segundo depois só estávamos eu e Davis na minha casa.Todos os convidados haviam sumido e nós estávamos jogando Fifa 12.
- O que aconteceu? Ficou com dor de cabeça? - Ele me perguntou após eu tirar as mãos da cabeça e abrir meus olhos.
- Pera um pouco, onde estão todos os convidados e toda a bagunça?
- Bagunça? Convidados? Bem, que eu me lembre você só me convidou.
Eu não estava entendendo nada do que havia acontecido, minha vontade havia feito todos sumirem e minha casa ficar arrumada.
- Que dia é hoje? - Perguntei para Davis
- Hora,hoje é dia 31 de Dezembro,em breve iremos comemorar o Ano-Novo.
- Davis eu acho que bati a cabeça e não lembro,mas por favor me diga como foi o dia em que fizemos nosso último teste na escola.
- Bem,você nos contou como havia terminado a prova e me convidou para vir passar o Ano-Novo com você. Você disse que hoje iríamos jogar Playstation 3 a noite inteira,e iríamos comemorar o Ano-Novo aqui.
- Mas eu não me lembro de nada disso....Tem certeza?
- Você está me assustando... - Ele respondeu.
De repente ouvimos alguém batendo na porta, eu não sabia quem era,afinal parecia que tudo havia mudado. Quando abri a porta, era Drake, outro amigo meu.
- Eae Steven, beleza?
- Eae Drake, o que veio fazer aqui?
- Ouvi dizer que você ia fazer uma comemoração aqui...E resolvi entrar de penetra - Detalhe,ele sempre fazia isso.
-Ok,venha, vamos jogar nós três - Chamou Davis.
Então alguém bate novamente na porta
- Drake, você chamou alguém? - Perguntei
- Não,porque?
- Então quem...
Então a porta foi arrombada, um monstro com cabeça de pantera e corpo de humano feito de pedra surgiu diante de nós. Ele tinha olhos vermelhos acesos como brasas,e soltou um rugido semelhante ao de um leão.
- Que monstro é esse? - Perguntei
- Não faço ideia,apenas corra!! - Gritou Davis.
Então saímos correndo rumo a porta dos fundos, e saímos correndo nas ruas enquanto o monstro nos perseguia com uma incrível velocidade,embora fosse feito de pedra e devesse pesar 1 tonelada. O mais estranho era que as pessoas que passavam nas ruas não achavam estranho,apenas continuavam andando como se estivéssemos correndo de um carro.
- Pra onde vamos? - Perguntei para Davis
- Vamos tentar a Times Square,com tantas pessoas lá será difícil dele nos achar - Respondeu Davis.
Chegando na Times Square,vimos muitas pessoas lá,realmente MUITAS pessoas.Nós decidimos nos juntar a elas,nos disfarçando no meio da multidão,porém o bicho de pedra cresceu e a população que estava lá pra ver a maçã descendo acabou correndo pra longe,e nós ficamos sozinhos contra aquele monstro de 6 metros.
- Agora estamos encrencados.... - Disse Davis
O monstro levantou o pé e estava prestes a nos esmagar,quando 5 cavalos com asas surgiram nos céus e voaram em direção ao monstro,que tentou bater neles,sem sucesso.Os 5 cavalos pousaram na nossa frente.4 eram brancos e 1 era negro.5 Pessoas desmontaram dos cavalos.Um deles tirou uma caneta do bolso e a transformou em espada.A outra pegou uma faca de bronze do cinto.O terceiro tirou do seu cinto uma espada de lâmina negra.A quarta tirou um escudo das costas que tinha uma moldura da Medusa,o que me deixou apavorado.O último tinha um gorro parecido com o de Davis e um cavanhaque semelhante,porém tinha uma flauta de bambu.
- Um gárgula...nunca havia enfrentado um desses antes. - Disse o garoto com a espada-caneta.
- Percy,precisamos salvar esses três garotos. - Respondeu a garota com a faca de bronze.
- Eu tenho um plano - Respondeu a garota com o escudo.Ela contou o plano aos outros,que concordaram.
Então em menos de um minuto,o garoto com a espada negra colocou a mão no chão e abriu uma fenda atrás do monstro,o garoto de caneta-espada que deveria se chamar Percy tirou uma grande quantidade de água dos bueiros e colocou dentro do buraco.A garota do escudo mostrou a imagem do escudo pro monstro,que foi andando para trás.De repente,o monstro caiu na imensa fenda que havia sido aberta,e Percy controlou a água fazendo ela prender o monstro.O clone mais velho de Davis tocou a flauta de bambu e raízes saíram da fenda e empurraram o monstro pro fundo.
- Ele em breve estará no submundo - Respondeu o garoto de lâmina negra.
Então mais três cavalos alados chegaram
- Vocês três devem ser as pessoas que aquela Gárgula estava caçando... - Disse Percy
- É..é ele - Respondeu Davis apontando pro clone dele
- Davis,eu não te falei pra cuidar do semideus? - Ele disse apontando para mim.
- Semideus? - Perguntei - Davis,você conhece esse cara?
- Sim,ele é o escolhido de Pã - Respondeu Davis tirando o gorro e mostrando pequenos chifres.Naquele momento eu tomei um susto e caí sentado na rua
- Desde...desde quando você tem chifres? - Perguntei para ele
- Eu sou um sátiro,que nem o mestre Grover - Respondeu ele tirando as calças e os tênis,revelando sua parte inferior de bode.
- Isso só pode ser um sonho...eu devo ter dormido em casa jogando videogame.Se eu me beliscar... - Tentei,porém não deu certo.Aquilo era real.
- Bem,encare os fatos garoto,você é um Semideus e nós vamos levá-lo para o acampamento.
- Acampamento? - Perguntei
- E quanto a mim? - Perguntou Drake - Também sou um semideus?
- Você não tem aura de semideus....mas pode ser que seja também.Por isso decidimos levá-lo para o acampamento.
- Certo não temos tempo, quero que vocês três subam esses pégasus e vão em direção ao acampamento.Quíron vai dizer o que vocês devem fazer.
Então montamos nos cavalos e eles voaram,nos levando até o Leste,aonde avistamos um imenso acampamento.Lá eu vi um imenso muro de escalada,um anfiteatro,vários chalés e uma imensa floresta.Foram tantas coisas que percebi onde nós estávamos.
- É aqui....O Acampamento



Continua....


Última edição por Daniel em Qui Mar 07, 2013 6:07 pm, editado 2 vez(es)
avatar
Daniel L. Chassot
Moderador Global

Data de inscrição : 23/06/2011
Mensagens : 104

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Ultimate Demigod

Mensagem por Daniel L. Chassot em Sab Dez 03, 2011 4:54 pm

Capítulo 2 - Apenas um sonho?



Chegando no Acampamento, os cavalos pousaram próximos a uma floresta, e vários campistas nos cercaram quando chegamos. Vários deles pareciam analisar minha cabeça buscando sei lá o quê, mas ficaram frustrados por nada aparecer. Vários deles vieram perguntando minha idade, de onde eu era, se eu gostava de torta(embora isso não fizesse sentido), e todo tipo de pergunta que você possa imaginar. Quando estava quase sufocado de perguntas, uma cabeça surgiu acima das outras,e todos os alunos abriram caminho. Quando olhei levei novamente um susto, o homem tinha a parte de baixo do corpo em forma de cavalo.
- Vocês devem ser os semideuses que Davis estavam falando... Sejam Bem-Vindos ao Acampamento Meio-Sangue
- Você é um....centauro? - Perguntei assustado
- Você não é o primeiro a se assustar com minha aparência...gostaria de saber qual o nome de vocês dois - Disse ele apontando para Drake e eu
- Meu nome é Drake...embora eu não saiba porque estou aqui.
- Meu nome é Steven... E quem seria você?
- Ora garoto,eu sou Quíron, Diretor de Atividades do Acampamento. Venha,irei lhe mostrar o acampamento.
Então ele começou a nos levar pelo acampamento,que era muito maior do que eu havia visto de cima. Ele foi me explicando que aquilo era em homenagem aos deuses...que servia para proteger os filhos deles,e que os Deuses do Olimpo ainda existiam na atualidade,mas após ver tudo aquilo, nada me surpreendia. Então ele nos mostrou os chalés, vários deles decorados de formas diferentes.
- Então eu poderei escolher qual desses? - Perguntei
- Não...Apenas quando você for reclamado pelo seu pai ou mãe - Ele respondeu
- Mas meus pais estão mortos...Eles me deixaram uma grande casa em Manhattan e me deixaram sozinho.
- Aqueles poderiam não ser seus verdadeiros pais... E ser reclamado por um Deus é a parte mais importante para um semideus nesse acampamento
- Mas quando isso irá ocorrer?
- Já era pra ter ocorrido,afinal Percy fez os Deuses jurarem que iriam reclamar todos os seus filhos assim que eles chegassem ao acampamento. Porém,parece que isso não ocorreu com você, o que me deixa preocupado.
- Isso é grave?
- Isso não é uma doença - Disse ele rindo - Ele pode estar ocupado com um trabalho ou missão e não pode te reclamar no momento. Isso aconteceu algumas vezes aqui.
- Ainda bem...E então,em qual chalé vou ficar?
- Como o Chalé 11 não abriga mais os semideuses indeterminados, então você terá que ficar conosco na Casa Grande...
- Bem,por mim tudo bem. E quanto ao Drake?
- Ele não tem aura de semideus,ele ficará por enquanto sob examinação.
- Então...quando posso ir ver o resto dos campistas?
- Agora iremos ter aula de esgrima no Anfiteatro,se quiser ir lá,fique a vontade
Não pensei duas vezes, sai correndo em direção ao Anfiteatro, eu adorava lutas de espadas. Chegando lá,vi vários campistas pegando armaduras,espadas e escudos. Alguns deviam ter mais de 30 anos, outros não deviam ter nem sequer 10 anos. Da mesma forma,fui e peguei um material iniciante e uma espada de madeira. Vi várias pessoas lutando e a forma na qual elas atacavam, e me senti assustado,mas vi um colar nelas que tinha vários pingentes, que deviam representar os anos deles no acampamento, portanto já eram mais experientes. Um deles se levantou e desafiou a todos.
- Eu sou Clarisse, Líder do Chalé de Ares, e venho fazer um desafio. Aquele que conseguir me derrotar em uma luta ganhará um dia de folga das tarefas do chalé.
- Você só diz isso porque Percy está fora do acampamento no momento - Gritou um dos campistas
- Bem, se ninguém vier ninguem ganha o prêmio
- Eu vou - Respondi sem pensar, adorava desafios,não podia fazer nada. Mas naquele momento, vários deles olharam pra mim com caras assustadas e com olhar de "Você é louco?"
- Bem, o novato aceitou o desafio. Alguém quer salvar a pele dele? - Ela disse em tom zombeteiro.
- Não preciso,eu mesmo irei te derrotar - Falei novamente sem pensar.
- Você me derrotar? Você nem sequer sabe seu pai ou mãe olimpiano. Como pretende me vencer?
- Te enfrentando.
- Bem,vamos então. Venha pra arena
Subi na arena e levantei minha espada de madeira e meu escudo, eu abaixei meu elmo e fiquei encarando ela
- Tão novinho...Não me responsabilizo pelo que acontecer com ele. - Ela gritou pros outros - Tem certeza que quer continuar com isso?
- Irei continuar até você estar caída aos meus pés
Todos soltaram um "Uuuh",o que certamente deixou ela bem irritada,pois em seguida ela pegou uma lança de 2 metros e veio na minha direção. Minha primeira reação foi levantar o escudo,porém ela o lançou longe. Em um rápido movimento,rolei pra direita e bati na perna dela com a espada de madeira, porém ela nem sequer reclamou. Ela tentou enfiar a lança no chão,e com outro rolamento deitado consegui desviar da lança. Então me levantei e ataquei o elmo dela com toda a minha força, que se partiu em dois. Todos fizeram silêncio
- Você não faz ideia do seu erro garoto... - Disse ela vindo com toda a fúria na minha direção, lançou minha espada longe e tirou meu elmo com uma só mão, me deixando caído no chão com a lança na minha cara.
- Isso foi...surpreendente - Falei pra ela
- Pena que você não irá sobreviver por mais do que um minuto!! - Ela disse abaixando a lança em fúria total,porém algo inesperado aconteceu. Eu não vi a morte passar diante dos meus olhos como muitos dizem. Ao invés disso, o tempo pareceu ter congelado ao meu redor. Eu não conseguia ouvir os gritos dos outros campistas,mas conseguia ver eles movendo as bocas em velocidades de câmera super-lenta. Eu vi Clarisse abaixando a lança em uma velocidade ridícula, simplesmente rolei pro lado, peguei minha espada e ataquei ela na nuca, uma das partes descobertas, quando vi, o tempo havia voltado ao normal e ela estava caído diante de mim,e todos fizeram silêncio novamente.
- Mas o que foi isso? - Ela me perguntou virando o rosto assustada
Todos começaram a me olhar assustados também,como se eu fosse alguma aberração,murmurando algo sobre terem visto um flash dourado e Clarisse no chão comigo atrás dela segurando uma espada. Então logo após isso Quíron chegou.
- Steven,eu vi sua performance... Acho que tenho uma ideia de quem possa ser seu pai.
- E quem seria? - Perguntei curioso
- Com uma velocidade dessas, minha maior suspeita é você ser filho de Hermes, o Deus dos Ladrões. Mesmo sem ter sido reclamado,você irá dormir no Chalé 11 hoje.
- Você vai se ver comigo na sexta,novato - Rugiu Clarisse em fúria,e saiu andando pra longe dali.
- Quíron,o que iremos ter na sexta?
- Acho bom você se preparar,Steven... Sexta iremos ter a Caça a Bandeira, um evento anual do Acampamento na qual Clarisse é experiente. Depois te passo as regras.
Quando fui tentar perguntar algo, ele me interrompeu e mandou todos nós para nossos chalés, pois em poucos minutos iríamos ter o jantar no pavilhão do refeitório. Chegando no Chalé 11, deixei minhas coisas perto de uma das camas vazias e me deitei nela, ela era confortável. Vi alguns outros filhos de Hermes me dando as boas-vindas e dizendo que aquele Flash dourado havia sido incrível. Alguns minutos depois, eu estava restaurado e com novas roupas do acampamento,uma calça jeans e uma camisa laranja escrito "Acampamento Meio-Sangue". Vesti as duas e fui em direção ao pavilhão com meus companheiros de chalé,prováveis irmãos. Nos sentamos em uma mesa específica e tivemos nossa refeição. Após isso, tivemos que jogar nossas comidas na lareira em oferenda aos nossos pais. Eu joguei em homenagem ao Hermes, porém a chama ficou dourada e negra depois,e recuperou sua cor normal após isso. Mais tarde voltei para o chalé e deitei na minha cama,adormecendo pouco tempo depois. Me lembro de estar em um Hotel Cassino em Las Vegas, sem nunca ter estado lá. Eu estava atrás de um fliperama escondido de sei lá o que, mas eu vi três garotos no Cassino, um deles estava jogando fliperama freneticamente. Depois que ele virou o rosto, notei que era Percy Jackson. Ele disse algo pros amigos dele e os três saíram correndo. Após isso só me lembro de ter ouvido uma voz metálica e sombria falando na minha mente
- Você ainda pode mudar isso... Seus poderes irão se revelar ao longo do tempo e algum dia você me livrará do meu destino,e nós iremos destruir o Olimpo JUNTOS!!
Após ouvir essas palavras,eu acordei suado e assustado, com a respiração ofegante. Eu olhei no relógio, eram 3:30 da manhã. Meus companheiros de chalé estavam dormindo,então eu fui dar uma passeada no Acampamento, eu sabia que não voltaria a dormir naquela noite.




Continua....

---

Jiyuu no Tsubasa
Flügel der Freiheit
Wings of Freedom
Asas da Liberdade
avatar
Daniel L. Chassot
Moderador Global

Data de inscrição : 23/06/2011
Mensagens : 104

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Ultimate Demigod

Mensagem por Daniel L. Chassot em Seg Dez 12, 2011 11:50 am

Capítulo 3 - A Patrulha da Noite



Eu comecei a caminhar pelo Acampamento, afinal não conseguia mais dormir. Fui até a praia e fiquei lá olhando pro mar durante um longo tempo, sentindo o vento no meu rosto. Quando me virei, vi patas de cavalo e um corpo humano. Quíron estava acordado e veio ver como eu estava. Contei a ele do meu "sonho", e ele fez uma cara assustada e começou a murmurar.
- Não pode ser..."Ele" está agindo novamente?
- Quem é "ele", Quíron? - Perguntei
- Meu pai e o Senhor dos Titãs, Cronos. Ele foi derrotado no ultimo verão, porém é impressionante que ele já esteja armando um novo plano. Ele parece ter um apreço pelos filhos de Hermes
- Cronos... - Não sabia porque, mas aquele nome me trazia lembranças.
- Agora ainda estou com dúvida, como você viu uma cena que ocorreu na época que Cronos estava se levantando pela primeira vez e porque ele disse que você ainda poderia alterar aquilo?
- Não, não faço ideia Senhor, mas sinto que algo está muito errado. E acho que tem relação com meu pai olimpiano.
- Ele disse que seus poderes iriam se revelar ao longo do tempo, mas como ele pode saber disso? - Ele perguntou em um tom de dúvida
- Eu não sei o que ele quis dizer com isso, mas algo com certeza está errado, MUITO errado.
De repente nós dois ouvimos gritos vindos da floresta. Corremos para ver o que era, e chegando no interior da floresta vimos árvores destruídas e pegadas no chão.
- Pegadas de lobo...mas nós não temos lobos no acampamento - Disse Quíron - Muito menos desse tamanho
- Melhor continuarmos seguindo as pegadas - Sugeri a Quíron e ele concordou
Fomos avançando pra floresta mais densa, e quando vi a cena quase vomitei
- Santo Zeus....Que os Deuses tenham pena desse semideus - Ele disse
O que estávamos vendo era um semideus com partes com ossos a mostra, com os olhos revirados e uma enorme poça de sangue debaixo dele. Algo quase havia retirado o pescoço dele com garras.
- Mas que tipo de animal da floresta poderia ter feito isso? - Quíron se perguntou em tom duvidoso,e então olhou para mim - Aqui não é seguro...vou ir conversar com o Senhor D e dar o alerta. A partir de hoje nenhum campista pode sair de seu chalé a noite. Iremos por todas as guardas possíveis para procurar o animal que possa ter feito isso. Volte para seu chalé e não saia de lá
- Mas e quanto a você? - Perguntei a Quíron
- Eu sei me cuidar,mas você é um novato. Volte para o Chalé Imediatamente! O monstro que fez isso pode estar por aí.
- Ok, eu irei voltar para lá. - Comecei a correr em direção ao meu chalé e fiquei sentado em minha cama. Não sabia do que estava com mais medo: Do monstro que havia surgido na floresta ou do sonho que eu tinha tido naquela noite. Acabei caindo no sono
No dia seguinte, acordei com uma trombeta soando. Pulei da cama e fiquei olhando de um lado para o outro
- Porque estão soando a trombeta? - Perguntei
- Quíron está chamando todos os semideuses pro anfiteatro, parece que um semideus morreu - Respondeu um deles
Eu não conseguia acreditar, eu havia visto aquele semideus morto na noite passada e agora aquilo? Me arrumei e fui em direção ao Anfiteatro. Lá estava Quíron com um túmulo e uma mortalha com um martelo em chamas, pelo visto o garoto era filho de Hefesto. Quíron disse suas palavras e queimou a mortalha do semideus. Eu não fazia ideia do que estava acontecendo no acampamento. Quíron explicou a todos o que havia visto na noite passada, mas não mencionou meu nome.
- E foi isso que aconteceu. Achamos ele morto por uma fera na floresta.
Vários campistas ficaram murmurando algo sobre alguém ter invocado o monstro na floresta.
- E quanto a Caça a Bandeira na sexta-feira? - Perguntou Clarisse saindo do meio da multidão
- Iremos adiá-la até matarmos ou capturarmos o monstro. Ontem fiquei procurando pela floresta inteira o monstro e não o achei. Parece que ele só ataca a noite, então quero um treinamento hoje para eleger os campistas que irão proteger as fronteiras do acampamento e os limites da floresta, impedindo qualquer semideus de entrar ou sair da floresta ou do acampamento. Aqueles que passarem no teste irão se chamar "A Patrulha da Noite". Boa sorte a todos e o torneio está aberto.
Após aquilo todos foram pro arsenal ir buscar as armas, mas eu decidi ir ver como Drake estava na Casa Grande. Chegando lá vi ele dormindo sem camisa e com a bermuda rasgada. Acordei ele.
- Drake, porque você estava dormindo sem camisa? - Perguntei
- Não faço ideia...acho que fiquei com calor durante a noite. Eae, como tá a vida lá no Chalé 11? - Ele perguntou
Expliquei meu sonho pra ele e o que havia visto na noite anterior
- Caraca, um monstro surgiu na floresta e matou um campista de Hefesto...Isso não está bom - Ele disse como se tentasse se lembrar de algo
- Bem, então você não estava sabendo da história? - Perguntei
- Não que eu me lembre - Ele respondeu e voltou a dormir
Após isso fui em direção ao Arsenal, peguei uma espada de Bronze dessa vez e um escudo de ferro reforçado. Coloquei minha armadura e o elmo e parti para a arena de batalhas. O Torneio estava prestes a começar. Na primeira rodada tive que enfrentar um campista novato de Apollo. Ele tentou me atacar com arco e flecha mas não sabia usar as armas direito. Defendi a flecha com o escudo e derrubei ele no chão com o cabo da espada. Na segunda rodada tive que enfrentar um campista normal de Ares. Ele lutava bem, mas no final eu rolei por baixo das pernas dele e derrubei ele usando a lateral da minha lâmina. Até aí estava fácil, mas chegou um dos mais difíceis, um campista experiente de Hefesto. Ele usava uma armadura com a viseira em forma de T que cobria todo o rosto e trazia um machado enorme. Ele deveria ter o dobro do meu tamanho. Minha primeira reação foi desviar do machado ou eu seria partido em dois, mas percebi que embora ele fosse incrivelmente forte e resistente, a armadura dele deveria pesar, pois ele estava lento e mal podia se mexer. Quando desviei do golpe dele, peguei meu escudo e empurrei ele. Ele caiu pra trás e não conseguiu mais se levantar. Todos estavam surpresos com minha sabedoria em combinação com minha agilidade. Até que ela chegou.
- Ora ora...então o novato está derrotando todos os inimigos em seu caminho - Disse Clarisse,ela havia derrotado com facilidade todos os outros campistas
- Parece que no final seremos eu contra você novamente.
- Bem, eu não tenho medo de você. Já te disse isso.
- Isso irá mudar hoje, novato
Ela pegou a lança de 2 metros e um escudo e subiu na arena. Nós ficamos frente-a-frente novamente. Ela começou vindo pra cima com a lança, porém eu consegui desviar, mas o cabo da lança me jogou pra longe.
- Não sei que truque você usou aquela vez,novato, mas não terá a mesma sorte novamente.
Ela me chutou pra longe e eu fiquei com o braço do escudo ferido, largando ele. Então segurei com os dois braços a espada da minha mão direita.
- Acha que conseguirá fazer algo só com sua espada?
No momento que ela veio com a lança em direção ao meu pescoço, aconteceu aquilo novamente. Eu consegui ver a lança vindo em uma velocidade muito lenta e parti a lança em dois com um corte vertical da minha espada. Após isso peguei meu escudo do chão e joguei nela, ela caiu lentamente para trás e o tempo voltou ao normal quando ela caiu no chão. Fui aplaudido por vários campistas
- O Flash Dourado retornou! - Gritaram vários deles
- Nem consegui ver ele se movendo, quando olhei a lança estava partida e Clarisse no chão - Gritou outro
- Quem é você? - Disse Clarisse assustada.
- Steven, havia ouvido boatos do Flash Dourado mas nunca o tinha visto em prática - Disse uma voz vindo de trás de mim
Virei o rosto e vi Percy e Annabeth atrás de mim. Os dois me observavam como se eu fosse algum monstro
- Percy, que velocidade é essa? - Annabeth perguntou
- Não há dúvidas, ele é Filho de Hermes. - Respondeu Percy
- Então porque ele ainda não foi reclamado? - Perguntou Annabeth
- Só tenho um meio de saber... Steven, quero você no meu time na Patrulha da Noite.
- Eu? Mas eu sou um novato e acabei de chegar....
- E derrotou Clarisse duas vezes. Você merece meu respeito e eu quero testar você. Te vejo hoje a noite.
- Então os membros foram escolhidos - Gritou Quíron - Deem um passo a frente aqueles que forem chamados: Percy, Annabeth, Grover, Steven , Clarisse.. - Ele foi chamando até 10 pessoas estarem a frente - Parabéns, vocês agora são membros da Patrulha da Noite.



Continua....


Última edição por Daniel em Sab Maio 26, 2012 10:02 am, editado 2 vez(es)

---

Jiyuu no Tsubasa
Flügel der Freiheit
Wings of Freedom
Asas da Liberdade
avatar
Daniel L. Chassot
Moderador Global

Data de inscrição : 23/06/2011
Mensagens : 104

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Ultimate Demigod

Mensagem por Daniel L. Chassot em Ter Dez 13, 2011 6:09 pm

Capítulo 4 - O Monstro se revela



Após os times serem formados, fomos pegar novas armas e armaduras mais resistentes feitas pelos campistas de Hefesto. Eu recebi uma espada de prata, pois a minha havia sido danificada durante a luta. Nós tivemos que vestir mantos negros, para indicar que fazíamos parte da Patrulha da Noite. Quando o sol se pôs e a noite chegou, fomos nos encontrar na Casa Grande.
- Bem, vamos separar vocês em dois grupos: o Grupo 1 irá defender as fronteiras do acampamento, enquanto o grupo 2 irá proteger as fronteiras da floresta. Percy irá liderar o grupo 2 e Clarisse o grupo 1. Podem escolher seus grupos. - Disse Quíron
- Eu escolho Annabeth, Steven, Grover e Will Solace. - Respondeu Percy
Os outros 4 foram com Clarisse cuidar das fronteiras do acampamento, enquanto eu e os outros 4 fomos rumo a floresta, o que não em trazia boas lembranças. Chegando lá ficamos andando de um lado para o outro da floresta, procurando alguém que pudesse entrar ou sair dali.
- Steven não tenha medo, sei que o que você viu na última noite não te agradou, mas você precisa ter coragem. - Disse Percy
- Sei disso Percy, não estou com medo - Falei para ele
Então continuamos andando pelos arredores da floresta. O vento estava frio e tudo estava escuro. Senti que algo estava errado. Ficamos andando durante horas, olhei no meu relógio e ainda era 22:00. Nós não tínhamos comida ou abrigo, os outros campistas deveriam estar jantando no Pavilhão do Refeitório enquanto nós estávamos protegendo a floresta. Então eu fui começando a ir adormecendo. Mas eu não podia adormecer, tinha que ficar protegendo as pessoas. Porém acabei dormindo de um jeito ou de outro. No meu sonho eu estava naquele exato lugar, só que no Pavilhão do Refeitório e vendo o pessoal comendo. Nós não estávamos lá, então eu deveria estar vendo o que estava acontecendo no jantar. De repente um campista caiu sem vida no chão e todos começaram a gritar. O vento apagou a fogueira e só deu pra ver olhos vermelhos e deu pra ouvir um uivo. Acordei em um instante.
- NÃO! - Gritei acordando suado e com respiração ofegante
- O que foi Steven? - Perguntou Percy
- Precisamos ir imediatamente ao Pavilhão do Refeitório. Não sei porque, mas temos que ir para lá imediatamente!
- Não podemos, temos ordens para....
- Não podemos seguir ordens, temos a vida dos campistas em jogo!!
Comecei a correr na direção do Pavilhão do Refeitório, corri o máximo que pude. Chegando no Pavilhão, vi todos comendo calmamente e tranquilos. Eles pararam de comer e ficaram me observando.
- Steven, o que faz aqui? - Perguntou Quíron - Você não deveria estar protegendo a floresta?
- Quíron eu sei que não deveria estar aqui,mas.... - Quando eu estava falando aquilo, vi uma figura de olhos vermelhos e pelo prateado vindo correndo na direção de um dos campistas - É ele,cuidado!!
No momento que o campista virou, o monstro pulou por cima dele e parou no meio da roda, a fogueira havia apagado e eu revi aqueles olhos vermelhos. Eu estava frente a frente com ele.
- TODOS VOLTEM PARA SEUS CHALÉS!! - Gritei com a voz mais alta que pude, mas o monstro me bateu com o braço e me lançou longe. Os campistas estavam correndo em direção aos seus chalés, mas o monstro começou a uivar e foi correndo atrás dos campistas. Eu me levantei e sai correndo atrás dele, não deixaria outro campista ser morto daquela maneira. Lancei meu escudo, que bateu na perna direita do monstro e fez ele cair. Eu peguei minha espada de prata e mirei para ele. Trovões estavam se formando no céu. O lobo avançou contra mim, mas eu desviei e consegui pegar meu escudo. Um raio iluminou os céus e eu vi perfeitamente o monstro. Era um monstro que eu nunca havia visto antes, um lobo de dois metros e meio de altura e andando em duas patas. Ele tinha olhos vermelhos e rosnava feito um verdadeiro lobo. O raio também iluminou minha espada, e no momento que ele viu a prata ele saiu correndo. Quando tentei perseguir ele, Percy e Annabeth chegaram me perguntando o que havia acontecido. Aquela noite havia sido muito estranha. Comecei a explicar a eles do sonho que eu tive e eles me levaram até o Quíron.
- Steven...não estou conseguindo entender você. - Disse Quíron
- Porque não? - Perguntei pra ele
- Você tem a velocidade de um filho de Hermes e teve uma profecia que nem um filho de Apolo. Afinal, de quem você é filho?
- Eu também quero muito saber isso senhor- Disse desanimado.
- Bem,o importante é que sua desobediência e seu sonho salvaram nossos campistas. Temos que tomar mais cuidado com esse lobisomem - Ele respondeu
- Precisaremos que todos os campistas estejam em seus chalés quando o sol estiver se pondo. Precisaremos interromper nossos jantares. Está muito perigoso com o lobisomem a solta - Disse Percy
- Providenciarei isso, aquele monstro não pode sair do acampamento. Se ele causar problemas lá fora, não quero nem pensar nisso. Agora vão para seus postos, ele ainda pode estar por aí.
- Certo - Dissemos em uni sono
Então voltamos aos nossos postos. Continuamos rodando até o dia amanhecer. Nenhum sinal de ataque do lobisomem. Fui fazer uma visita a Drake novamente, ele estava dormindo de novo. Acordei ele e ele me olhou com uma cara de cansado.
- Steven? Porque você sempre me acorda?
- Cara, você tá acordando muito tarde e ainda acorda cansado. Você está dormindo muito tarde? - Perguntei
- Pra falar a verdade não. Mas estou com uma extrema dor na perna. Parece até que alguém me bateu na perna com uma muleta.
- Você por acaso viu um lobisomem pelo acampamento ontem? - Perguntei
- Lobisomem? Temos um lobisomem no acampamento? Ahhhhh - Ele gritou correndo pelo quarto, porém a perna fez ele parar.
- Então você ainda não sabia? - Perguntei
- Não, estou sendo analisado dia pós dia, esses testes tão acabando comigo cara.
- Bem, qualquer coisa, não saia da Casa Grande de noite. É muito perigoso
- Pode deixar Steven, não sairei.
Após aquilo eu fui dormir no meu chalé. Eu estava morrendo de sono por ter ficado a noite inteira acordado. Cai no sono e tive outro sonho. Eu estava na floresta, e vi um garoto de capa negra e espada de prata lutando com o lobisomem. No momento que ele perfurou o coração do monstro, ouvi uma voz metálica e sombria novamente na minha cabeça "Eu te fiz proteger eles, porém será que você é capaz de se proteger de você mesmo?". Acordei novamente assustado, porém sem suor e nem respiração ofegante. Eu não fazia ideia do que ele queria me dizer, mas sabia quem era aquele homem na capa com espada de prata lutando com o lobisomem. Era eu mesmo.




Continua.....




---

Jiyuu no Tsubasa
Flügel der Freiheit
Wings of Freedom
Asas da Liberdade
avatar
Daniel L. Chassot
Moderador Global

Data de inscrição : 23/06/2011
Mensagens : 104

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Ultimate Demigod

Mensagem por Daniel L. Chassot em Qui Dez 15, 2011 2:10 pm

Capítulo 5 - Flash Dourado



Sai do meu chalé e fui andando em direção a Casa Grande, eu precisava avisar Quíron sobre aquilo. Chegando lá vi ele e o Sr D jogando poker, e o Sr D perdeu. Então Quíron olhou para mim e veio falar comigo. Expliquei a ele sobre meu sonho e ele começou a praguejar algum tipo de oração sobre mim.
- Bem, da última vez que você teve um sonho você previu o futuro e salvou os campistas. Se seu sonho estiver certo, lhe desejo boa sorte. Você deverá matar o Lobisomem para impedir que ele cause mais problemas.
- Mas...eu ainda sou iniciante aqui, mal sei usar uma espada e terei que enfrentar o Lobisomem sozinho e matá-lo?
- É seu destino Steven...nem mesmo o Oráculo poderá mudar isso.
- Bem, então o jeito será eu ir enfrentar o Lobisomem sozinho...Devo avisar os outros membros da Patrulha?
- De maneira alguma, caso você falhe precisaremos de pessoas para ir te proteger e impedir que ele saia da floresta ou do acampamento. Steven, você sabe que dia é hoje?
- Não, porquê?
- Hoje é Sexta-Feira, iremos ter nossa Caça a Bandeira
- Mas e quanto ao Lobisomem?
- Agora que sabemos que é um Lobisomem, sabemos que ele só ataca a noite. A Caça a Bandeira ocorrerá de dia.
- Entendi, então vamos começar?
- Pode ir pra Fronteira da Floresta. Lá estarão os grupos. Você será do time de Percy.
- Interessante...bem, vou lá
Sai correndo em direção a floresta, e quando cheguei lá vi várias pessoas com armaduras e armas prontas para entrar na floresta.Percy foi o primeiro a me ver
- Steven! Estávamos esperando por você. - Disse ele colocando um elmo na minha cabeça.
- Bem, vamos lá. - Disse confiante
Então entramos na floresta, nosso grupo foi em direção ao Punho de Zeus, e o outro foi em direção ao outro lado.
- Tem certeza que não encontraremos o Lobisomem aqui? - Perguntei para Percy
- Relaxa, ainda nem é meio-dia - Ele me falou, me deixando tranquilo
Então ele me mandou subir no Punho de Zeus e proteger a bandeira. Fiquei lá observando enquanto as duas equipes ficavam se confrontando na floresta. Eu conseguia ver os campistas vindo pelo riacho, pela direita e pela esquerda, e alguns passando pelas defesas. Alguns deles começaram a escalar o Punho de Zeus, porém passei a espada de prata na pedra e criei uma faísca que gerou chamas na beira da rocha, demoraria algum tempo até que eles conseguissem subir o Punho. Enquanto isso o tempo começou a parecer mudar. As coisas ao meu redor pareceram parar e a batalha estava mudando, a posição dos campistas estava sendo alterada.Um brilho azul surgiu e eu me vi passando sendo sugado por um buraco no céu e abri os olhos. De repente eu estava sozinho em cima do Punho de Zeus e observando a batalha. Parecia haver bem menos campistas lá do que eu esperava. Eu vi uma batalha ao longe acontecendo no riacho. Era um garoto pequeno de cabelos negros enfrentando alguém com armadura que parecia ser...Clarisse. Mas quando vi ela estava sendo derrubada pelo garoto. Nesse momento dois garotos apareceram na minha frente. Um deles parecia muito a Annabeth, mas era pequena. O outro era loiro e tinha uma enorme cicatriz no rosto. Os dois ficaram surpresos ao me ver em cima do Punho de Zeus, e vieram me atacar.
- Annabeth, eu achei que você tinha falado que todos os campistas estavam no campo de batalha e que seria moleza capturar a bandeira. - Disse o garoto loiro
- Eu nunca vi esse cara antes Luke, eu juro - Disse Annabeth
- Bem, vou ter que vencer vocês dois já que estão aqui. - Disse levantando minha espada de prata e meu escudo de bronze.
- Annabeth, ataque ele pela esquerda e eu ataco pela direita. - Disse Luke
- Peraí, você é Annabeth? - Perguntei para a garota
- Sou, porque? - Perguntou ela
- É porque você está muito mais jovem - Disse, não estava entendendo nada. A Annabeth que eu conhecia era maior e mais madura, essa era pequena e tinha rosto de criança.
- Ok esse cara endoidou, vamos derrotá-lo juntos Luke! - Gritou Annabeth
Os dois vieram na minha direção, consegui defender o golpe de Luke com meu escudo de bronze e com a espada defleti o golpe da adaga de Annabeth. Então fiz os dois colidirem e ataquei o ombro de Annabeth, que caiu no chão, e empurrei Luke com o escudo, fazendo ele cair no chão também.
- Quem é esse cara? - Perguntou Luke
- Luke, enfrente ele enquanto eu pego a Bandeira - Respondeu Annabeth
- Eu não deixarei!! - Eu disse levantando a espada e o escudo na direção dos dois, mas no momento que Annabeth começou a correr e eu corri atrás dela Luke surgiu e me atacou com a espada, me forçando a me defender.
- Vá Annabeth, eu cuido dele.
Então eu resolvi usar novamente meu poder. Meu estômago dessa vez pareceu embrulhar. O tempo parou e eu tirei a espada da mão de Luke e joguei ele pra baixo do rochedo. Depois segurei o escudo dele e bati com a parte chata da espada no capacete dele,fazendo-o cair para trás. Ainda com o tempo parado, fui na direção de Annabeth e lancei o escudo nas pernas dela, o que fez ela cair. Nesse momento o tempo voltou ao normal e eu estava segurando a bandeira do meu time nas mãos.
- Como....como ele fez isso? - Perguntou Luke assustado.
- Minha perna está doendo - Disse Annabeth caída.
- Podem me chamar de Flash Dourado - Não sabia porque, mas gostava daquele apelido. De repente ouvi gritos vindo do riacho, fui lá ver o que era. Chegando lá vi um Cão Infernal atacando o garoto de cabelos negros e pequeno. Annabeth e Luke tinham vindo atrás de mim sem que eu percebesse.
- Ah não.... Percy cuidado!!- Annabeth gritou para Percy
- Aquele é o Percy Jackson? Não pode ser ele... - Eu disse assustado. Aquele garoto não poderia ser o Percy, mas meu instinto foi ir lá protegê-lo. Vi tudo indo devagar,o cão pulando na direção de Percy e ele cobrindo o rosto com medo. Nesse momento peguei minha espada e enfiei na cabeça do Cão Infernal, fazendo a espada entrar por um lado e sair pelo outro. Quando o tempo voltou ao normal, o monstro havia virado pó dourado.
- Quem....quem é você? - Perguntou Quíron assustado
- Quíron, não me reconhece?
- Nunca vi você nesse acampamento. Seja lá quem for, salvou Percy de ser morto por aquele cão.
- Ele nos disse que se chama Flash Dourado. - Disse Luke
- Bem, seja você quem for Flash Dourado... Obrigado
De repente a água começou a recuperar os ferimentos da luta entre Percy e Clarisse. Um holograma verde de tridente surgiu acima da cabeça dele.
- Então foi esse o dia...
- Salve Percy Jackson, o Filho do Deus dos Mares. - Todos se ajoelharam, menos eu.
- Bem...acho que meu lugar não é aqui - Disse eu correndo pro outro lado.
- Espere!! - Gritou Quíron, porém eu já estava longe.
Novamente aconteceu aquilo, o tempo a minha volta pareceu parar e uma luz azul surgiu na minha frente. Fechei os olhos e continue correndo, passando por ela. Quando abri os olhos estava vendo Percy crescido e lutando na batalha.
- Steven, o que aconteceu? Porque não está protegendo a bandeira?
- Eu...não sei Percy. Onde estão Quíron, Annabeth e Luke?
- Annabeth está indo atrás da bandeira...Quíron está ocupado e como você conhece Luke? - Ele perguntou incrédulo.
- Eu sou o Flash Dourado, lembra-se de mim? - Perguntei
- Espere um pouco Steven...Não,não pode ser. Ele sumiu há 5 anos.
- Ele quem?
- O Flash Dourado que salvou minha vida no dia em que eu fui reclamado. Aquele que usou uma espada de prata para atravessar a cabeça do Cão Infernal. Você não pode ser... - Ele parou quando viu a espada de prata em minhas mãos - Di Immortales......
De repente todos nos rodearam e pararam ao me ver com aquela armadura e a espada de prata nas mãos. Eles me olhavam incrédulos como se eu fosse alguma aberração. Um fantasma que tivesse morrido há 5 anos.
- Percy, porque a luta parou? - Perguntou Annabeth vindo na direção dele quando em viu com a Espada de Prata nas mãos - Não pode ser... é ele?
- Sim Annabeth, achávamos que ele tinha sumido há 5 anos atrás. Mas ele está aqui diante de nós. A lenda viva.
- Pessoal, sou eu, o Steven.
- Nunca pensei que o Steven que nós resgatamos em Manhattan fosse o Flash Dourado - Disse Percy
- Cara, foram vocês que me deram esse apelido - Disse tentando parecer menos estranho
- Você disse para mim e Luke que se chamava Flash Dourado - Disse Annabeth
- Mas Steven, como você pode ter surgido no acampamento há alguns dias e ser o Flash Dourado de 5 anos atrás? Tem alguma coisa errada....Explique o que aconteceu.
- Bem,eu..... - Olhei para cima, alguma coisa estava errada,eu podia sentir. O dia estava escuro e havia algo iluminando que não era o Sol - Olhem para a Lua!!
No momento que todos olharam, uma figura estranha surgiu sobre o Punho de Zeus. Todos nós fomos ver o que era.
- Não pode ser.... - Eu disse assustado
O lobisomem estava com o dobro do tamanho, tinha olhos vermelhos como sangue e soltou um uivo que deixou todos os campistas com os ouvidos latejando. Ele então ficou sobre as quatro patas e em posição de ataque. E eu sabia que eu teria que matar ele ali naquela noite e sozinho. Uma voz ecoou na minha cabeça "O momento chegou, ou morre ele ou morrem seus amigos!!". Não tive dúvidas, peguei minha espada prateada e corri na direção dele enquanto ele pulava do Punho de Zeus em minha direção.



Continua.....

---

Jiyuu no Tsubasa
Flügel der Freiheit
Wings of Freedom
Asas da Liberdade
avatar
Daniel L. Chassot
Moderador Global

Data de inscrição : 23/06/2011
Mensagens : 104

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Ultimate Demigod

Mensagem por Daniel L. Chassot em Sex Dez 23, 2011 3:20 pm

Capítulo 6 - Faço a maior besteira da minha vida




No momento que o Lobisomem saltou na minha direção, o tempo se moveu lentamente como sempre. Mas mesmo naquela velocidade o Lobisomem era rápido, que só consegui desviar sem atingir ele. O tempo voltou ao normal e ele ficou frente-a-frente com Percy, Annabeth e os outros campistas. Eu não podia deixar ele atacar meus amigos, então corri na direção dele e tentei atacar ele pelas costas, porém ele simplesmente me jogou para longe com seu braço que era maior do que eu. Bati a cabeça na pedra e fiquei meio zonzo por um tempo, se eu não estivesse de elmo poderia ter desmaiado ali. Me levantei e fui avançando em direção ao Lobisomem sem pensar, tentei rolar do braço dele porém o rabo dele bateu em mim e me mandou pra longe novamente
- Steven pare de tentar!! Ele é poderoso demais para você!! - Gritou Percy
- Percy se ele continuar assim ele irá morrer....precisamos ajudá-lo.
- Não,ninguém pode ajudá-lo - Disse Quíron vindo de dentro da floresta
- E porque não Quíron? - Perguntou Annabeth
- Porque esse é o destino de Steven, ou ele mata o Lobisomem, ou é morto por ele. O destino dele é enfrentar sozinho o Lobisomem.
- Ele está certo pessoal - Eu disse me levantando - Eu devo enfrentar e matar esse Lobisomem sozinho. Esse é o meu dever!! - Eu disse pegando minha espada e correndo na direção dele, porém ele simplesmente me pegou com uma mão e me jogou no Punho de Zeus. Eu sabia que meu braço esquerdo estava quebrado e minha espada estava longe.
- Steven!! - Gritou Annabeth
- Annabeth, precisamos sair daqui. Se o Lobisomem....matar o Steven, precisamos fazer com que todos os outros campistas fiquem seguros.
- Não, eu vou ficar para ajudar. Eu sou membro da Patrulha da Noite, eu devo agir como tal e deter esse Lobisomem - Diz ela pegando a faca e vindo em ajudar.
- Annabeth!! - Diz Percy destampando a caneta e vindo na direção do Lobisomem.
- Droga,preciso ir ajudá-los - Diz Quíron galopando até o Lobisomem
- Não venham!! - Gritei,porém eles vieram e Annabeth foi jogada longe pelo Lobisomem. Percy pegou a espada e tentou desferir um golpe no peito do Lobisomem, porém a espada ricocheteou e o Lobisomem jogou Percy para longe com uma mão. Quíron tentou lançar arcos e flechas no Lobisomem, porém tudo ricocheteou e ele pegou Quíron e o lançou longe também.
- Já chega!! - Gritei,e fui pra cima do Lobisomem, que prendeu meu corpo com uma mão.
- Steven!! - Gritaram todos
Eu estava sendo apertado, meus ossos estavam se quebrando e eu estavam sem poder fazer nada. Simplesmente gritei de dor.
- Não...Ele vai morrer!! - Gritou Annabeth
- Ele salvou minha vida uma vez... Dessa vez eu irei salvá-lo!! - Gritou Percy pegando sua espada e correndo na direção do Lobisomem para ser lançado longe novamente.
- Ahhhh - Gritei enquanto o Lobisomem continuava apertando cada vez mais.
- Quíron, tente ajudá-lo!!! - Gritou Annabeth
- Annabeth, preste atenção criança. Olhe Steven. - Disse Quíron
- Sim,eu estou vendo ele gritando e prestes a morrer!! - Disse Annabeth
- Olhe direito para ele
Então ela se deu conta ao mesmo tempo que eu sentia meus ossos voltando. Meu corpo começava a brilhar e o ar ao meu redor começou a ficar dourado. Eu sentia minhas forças retornando. Meus ossos já não estavam mais quebrados.
- Agora você vai pagar pelo que fez!! - Gritei
Então com as duas mãos eu abri a mão do Lobisomem, usei ela como impulso e pulei na direção do rosto dele, fazendo ele cair para trás e pulando para trás, ficando de pé. Eu me sentia mais forte do que nunca. Percebi que agora havia uma aura dourada ao meu redor.
- Steven....você é mesmo o Flash Dourado. - Falou Quíron
- Saiam daqui....Eu mesmo irei cuidar desse monstro - Falei encorajado pegando minha espada. A prata refletiu minha aura e ficou com um brilho dourado que iluminou toda a floresta.
- Ele não é mais apenas o Flash Dourado... - Disse Quíron - Ele é o Guerreiro Dourado. Só não sabemos ainda qual é o pai dele.
- Vão logo....tenho assuntos inacabados com esse Lobisomem - Eu disse sumindo da vista deles e atacando o Lobisomem pelas costas,fazendo um corte profundo nele. Enquanto todos fugiam, eu dei vários ataques simultâneos no Lobisomem, quando ele tentava descobrir onde eu estava, eu já estava acima da cabeça dele.
- Você não parece tão forte agora...Não é mesmo? - Eu disse zombando do Lobisomem. Quando ele tentou agarrar minha perna, eu já estava fazendo um corte em cada perna dele, deixando-o de joelhos no chão.
- Você não desiste não é mesmo? - Eu disse fazendo um corte no braço que ele iria usar para me atacar. Ele estava sem nada para me atacar.
- Depois de tudo que você fez...da morte daquele campista inocente....Quase matou meus melhores amigos....Eu não vou te perdoar!! - Eu disse enfiando a espada no peito dele.
Ele soltou um urro em fúria, a lua pareceu diminui e ele começou a emitir uma luz dourada dos olhos,da boca e do local onde eu havia perfurado. Ele começou a perder o tamanho. Ele ficou no tamanho que estava da primeira vez que nos enfrentamos. De repente os céus se tornaram negros e a lua desapareceu, o Lobisomem começou a se desfazer e se transformar em um humano. Quando eu vi a pessoa que estava sendo perfurada pela minha espada, eu levei um susto e cai para trás.
- Steven, o que estou fazendo aqui? E como você ficou com essa aura dourada maneira? - Ele perguntou tossindo sangue.
- Drake...Não,não!!
Larguei a espada e segurei ele nos braços, ele estava gravemente ferido no peito.
- Você...por isso aquele dia você acordou sem camisa e no outro com a perna machucada. Eu devia ter notado antes.
- Notado o que? - Ele perguntou como se não lembrasse de nada.
- Você era o Lobisomem, Drake. Por isso tinha uma aura mágica,mas não era semideus. Eu lamento muito.... Talvez se eu der um pouco de ambrosia e néctar...
- Não iria adiantar, isso só funciona com semideuses. Steven...Quando um Lobisomem é ferido por uma arma e prata, não tem mais volta para ele. Eu irei morrer em questão de segundos.
- Não...você não pode!!
- Lamento amigo,mas esse é o fim. Adeus,Steven. Obrigado por ter sido meu amigo. - Ele disse,e pouco depois fechou os olhos e a cabeça tombou. Ele estava morto.
- Não não não não NÃO!! - Gritei enquanto chorava sobre ele e via ele com a ferida no peito. Eu havia causado aquilo. Vi o sangue na minha mão, o sangue na espada e soltei um grito total de fúria. A aura ao meu redor sumiu, mas duas portas azuis foram abertas diante de mim. Eu não fazia ideia do que aquilo representava. Então ouvi uma voz na minha mente. "Você selou seu destino, você agora tem 3 opções: A primeira é a porta da direita, que o levará ao passado e te permitirá impedir seus próprios erros. A porta da esquerda te levará ao futuro, onde você descobrirá o que irá acontecer ao Mundo e a você. E a terceira opção é ficar aí e esperar ser sentenciado a morte por ter matado seu melhor amigo. A escolha é toda sua." Após ouvir essas palavras, não tive dúvidas, entrei na porta da direita. Eu iria refazer meus erros.




Continua.....



---

Jiyuu no Tsubasa
Flügel der Freiheit
Wings of Freedom
Asas da Liberdade
avatar
Daniel L. Chassot
Moderador Global

Data de inscrição : 23/06/2011
Mensagens : 104

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Ultimate Demigod

Mensagem por Daniel L. Chassot em Qui Abr 24, 2014 4:00 pm

Capítulo 7 - Um Novo Começo


  Após atravessar o portal, vi que eu havia retornado para o riacho onde eu havia desaparecido ao fugir 5 anos atrás, quando Percy havia sido recém-reclamado. Quando me viram lá, ouvi um grito atrás de mim.
  - Hey, você!! - Notei que o grito era da Annabeth mais nova, então me virei para trás e vi todos os campistas mais novos vindo na minha direção e parando quando fiquei de frente para eles. Eu estava sem armadura, mas estava com a camisa laranja do acampamento, uma calça jeans azul, sem capacete e apenas com minha espada de prata na mão direita. A voz na minha cabeça havia me enganado. Eu realmente havia voltado ao passado para reparar meus erros, porém eu havia voltado demais no tempo. Isso não importava agora, Drake estava a salvo, mas onde estaria Davis? Será que eu ainda existia naquele passado em outro lugar de Nova York, ou será que minha presença no passado havia apagado minha existência prévia? Eu precisava saber a verdade, mas teria que deixar isso para depois, o importante no momento era somente explicar tudo para Quíron. Eu teria que tentar retornar para o presente.
  - Olá... Desculpem por ter saído correndo, eu estava assustado com uma coisa, mas relaxem que agora já estou tranquilo. E então, como está o Percy? - Perguntei, e notei ele saindo de trás da equipe azul. Pouco depois chegaram Luke, Clarisse, Quíron e todos os outros. Percy então andou devagar na minha direção e me deu um abraço, como um irmão mais novo abraçando um irmão mais velho.
  - Obrigado por salvar minha vida... se você não tivesse aparecido, provavelmente eu estaria no submundo junto com minha mãe nesse momento. E nem sequer sabemos o seu nome... quem é você? - Ele perguntou, e então se afastou lentamente.
   - Meu nome é Steven... Steven Halber. Você é Percy Jackson, aquela menina é Annabeth Chase, aquele garoto é Luke Castellan e a menina má-encarada ali deve ser a Clarisse La Rue. Conheço bem vocês, apesar de vocês não fazerem ideia de quem eu sou. Ali deve estar Grover Underwood... onde está Thalia Grace? - Pergunto, deixando Quíron, Luke e Annabeth desconfortáveis.
  - Se você conhecesse a Thalia e sua história, saberia que ela morreu dando a vida para permitir que Luke, eu e Grover chegássemos ao Acampamento em segurança... Zeus se apiedou dela e a transformou no pinheiro que fica sobre a colina e que protege as fronteiras mágicas. - Diz Annabeth.
   - Mas... eu já vi ela batalhando, ela foi uma das responsáveis por me trazer para o acampamento. Não é uma garota de cabelos negros, olhos azuis, estilo punk e um escudo com a cara da Medusa? - Pergunto, o que deixa todos eles assustados.
  - Como ela pode ter te trazido pro acampamento se faz anos que ela morreu? - Pergunta Luke, empurrando os outros campistas e vindo me encarar - Quem diabos é você? Como chegou no acampamento e de que deus você é filho? Você simplesmente surgiu quando eu julgava não ter ninguém protegendo a bandeira do time vermelho, derrotou ambos eu e Annabeth sem sequer suar e ainda matou em questão de segundos o cão infernal que estava prestes a matar o Percy... Tem algo muito estranho em você.
  - Falando nisso, monstros não surgem de repente dentro do Acampamento, algum campista daqui deve tê-lo invocado, mas quem? Quem seria capaz de tal atrocidade? - Pergunta Quíron, deixando todos calados, e Luke pareceu recuar um pouco após aquilo, o que me deixou intrigado, mas preferi deixar pra lá - Não importa, hoje não tivemos uma equipe vitoriosa, uma vez que ocorreu o ataque do cão infernal, e não sabemos se ele foi o único monstro invocado dentro do acampamento, então seria melhor se todos voltassem para seus chalés e se preparassem para o jantar no pavilhão. Steven, você não, você vem comigo, precisamos conversar.
  Por que diabos toda vez que alguém diz "precisamos conversar" nós sabemos que o que vem adiante nunca é bom? Após todos se moverem para seus chalés, eu segui Quíron até a Casa Grande, onde fomos até a Sala de Recreação, onde o Sr. D nos esperava para uma conversa em particular entre nós 3. Nos reunimos ao redor de uma mesa de ping-pong, e Quíron foi explicando para o Sr. D tudo que havia acontecido durante o Caça a Bandeira, e ele olhou estranho para mim.
  - Stéfano Humberto, não é? - Perguntou o Sr. D, errando nomes pra variar.
  - Steven, Senhor D... Steven Halber...
  - Tanto faz. Steven, de onde você surgiu? Nenhum dos outros campistas te conheciam até Luke e Annabeth te encontrarem em cima do Punho de Zeus.
  - Eu precisava realmente falar com vocês... Eu não sou dessa época, eu vim do futuro - Reparei que isso apenas piorou as coisas, pois os dois se entreolharam e ficaram pensando em mil hipóteses, mas nenhuma parecia fazer sentido.
  - Nos explique isso melhor - Pediu Quíron - E como você sabia os nossos nomes se você apareceu hoje?
  - Pois eu conheço vocês, só que vocês de alguns anos no futuro. O que eu quero saber é o que aconteceu. Eu nesse ano era pra estar vivendo uma vida normal como um estudante em Manhattan, e sendo recrutado daqui há alguns anos, perseguido por uma Gárgula e sendo salvo por Grover, Nico, Percy, Annabeth e Thalia. Em seguida, eu e meus dois amigos Davis e Drake viemos para o acampamento. Eu acabei descobrindo que Davis era um sátiro e que meu amigo Drake era um lobisomem, e sem querer acabei matando-o no futuro, então um portal surgiu adiante de mim e eu vim parar aqui, no passado. Eu... eu queria saber se agora eu estou coexistindo com o meu eu dessa época ou se minha presença nessa época de alguma forma apagou a minha existência como um garoto normal. Se não for pedir demais para vocês dois, eu preciso ir até Manhattan procurar por Davis, Drake e o meu eu atual. Vocês sabem como desfazer uma maldição de lobisomem?  - Terminei de falar, e eles ficaram cochichando meia hora sobre o que eu havia acabado de falar, incluindo o fato de Thalia estar viva e "quem diabos é Nico?", mas no final chegaram a um consenso e voltaram a falar comigo.
  - Infelizmente... a única solução não-letal é aprisioná-lo no submundo, para que ele não volte a provocar tumulto no mundo dos mortais - Afirma o Sr. D. - Mas então... você apenas iria até Manhattan procurar esses amigos e você mesmo e depois retornar, certo?
   - Certo... vocês concedem essa missão para mim? Ah, e protejam o Percy Jackson, ele se tornará o maior herói que esse acampamento já viu. Luke seria o cara mais adequado para ensiná-lo a usar uma espada, ele irá precisar. E deixe ele, Annabeth e Grover sempre juntos, esses dois são os mais capazes de proteger Percy se ele for em uma missão. Agora eu preciso da aprovação de vocês para procurar o meu atual eu.
  - Missão concedida. Hoje é sexta-feira, não é? Você tem até terça para retornar, ou mandaremos uma equipe de busca atrás de você. Não informaremos ninguém sobre o que você falou nessa sala, nem mesmo os olimpianos. Quando você retornar, sua nova missão será proteger o jovem Percy Jackson sem interferir no curso da missão dele, você e o acampamento inteiro agora sabem que ele é filho de Poseidon, então os piores monstros irão tentar matá-lo pelo caminho, e você parece ser o mais capaz de protegê-lo, visto seu desempenho contra Luke e Annabeth e matando aquele cão infernal. Mas antes de ir, pegue essa chave de bronze e gire-a 48º no sentido anti-horário, você precisará dela. Vá, seu tempo está correndo - Quíron falou, e por algum motivo, essa última frase de Quíron soou como se fosse uma ironia para mim. Eu tinha todo o tempo do mundo.





Continua...

---

Jiyuu no Tsubasa
Flügel der Freiheit
Wings of Freedom
Asas da Liberdade
avatar
Daniel L. Chassot
Moderador Global

Data de inscrição : 23/06/2011
Mensagens : 104

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Ultimate Demigod

Mensagem por Daniel L. Chassot em Seg Jul 07, 2014 6:53 pm

Capítulo 8 - A missão corre perigo



  Ao deixar a Casa Grande, fui correndo em direção ao pinheiro de Thalia, onde o líder de segurança do acampamento, Argos, estava a me esperar para me levar até Manhattan. Peguei carona e dei a ele exatamente o endereço da minha antiga casa, onde ele me deixaria e voltaria para o acampamento. Ao irmos passando por Manhattan, algumas coisas foram me surpreendendo: lojas que eu costumava visitar estavam em construção, lanchonetes que eu costumava frequentar não estavam lá e eram substituídas por outros estabelecimentos. A Nova York que eu acabava de presenciar era o passado da Nova York que eu conhecia. Esperava que ao menos minha casa e minha escola estivessem intactas. Eu sabia que essa sexta-feira eu estaria em casa de férias, então esse seria o primeiro lugar que eu deveria me procurar e procurar Davis e Drake, já que ambos viviam indo lá em casa jogar comigo. Estávamos chegando ao local onde deveria estar minha casa, e passamos no trajeto pela minha escola. Ao menos minha escola continuava no mesmo local onde ela sempre esteve, com o mesmo nome. Isso me dava esperanças de saber que eu ainda existia naquela época, entretanto fiquei pensando se seria uma boa ideia me encontrar com o meu eu do passado. O que eu realmente precisava saber era se minha presença no passado havia causado algum paradoxo temporal ou se tudo estava em ordem e apenas eu era um problema. Faltava apenas dobrar a esquina agora e estaríamos na rua da minha antiga casa, e isso me deixava apreensivo. Os vizinhos eram os mesmos, os carros eram os mesmos, tudo estava em ordem, porém... Dessa vez havia um carro em frente à minha antiga casa, que continuava lá onde sempre esteve. Isso era um mal sinal. Pedi para Argos me deixar no início da rua pra não nos expormos demais e o aconselhei a retornar para o acampamento. Fui andando em direção ao local onde o carro estava parado, e bati a porta para ver se havia alguém em casa e, então, meu pior medo se tornou realidade. Abriram a porta e um homem careca com um grosso bigode grisalho veio me atender. Ele usava roupas comuns de mortais e tinha uma expressão fraca nos olhos.

  - Pois não? - Perguntou ele, observando então minha camisa - Acampamento... então, você é um escoteiro tentando me vender biscoitos, bolinhos ou algo do tipo?

  - Não, não... Eu estava aqui à procura de uma pessoa. Esse era o suposto endereço onde essa pessoa deveria morar. Você conhece ou já ouviu falar de alguém chamado Steven Halber? - Perguntei, esperançoso. Já havia percebido que a casa que meus pais haviam me deixado de herança já pertencia agora a uma outra família, e isso me fazia querer saber imediatamente onde eu mesmo e meus amigos poderíamos estar.

  - Steven Halber? Desculpe, mas nunca ouvi esse nome antes. Comprei essa casa abandonada e a reformei a cerca de 4 anos atrás. Boa sorte em sua procura, jovem, mas infelizmente não posso ajudá-lo. Tenha uma boa tarde - Disse ele, fechando a porta da minha antiga casa para mim, o que tornou tudo terrivelmente triste e preocupante. Aquela casa havia sido minha durante toda a minha vida e agora venho descobrir que ela estava abandonada. Onde eu poderia estar? Davis era um sátiro disposto a me proteger, e Drake um lobisomem solto pela cidade. Algum dos dois deveria saber onde estava o meu eu do passado mas, para isso, eu precisaria encontrá-los antes. Notei que havia uma bicicleta encostada na garagem da casa, então não pude fazer nada, deixei um pequeno bilhete para aquele velho senhor e peguei a bicicleta "emprestada" e comecei a pedalar em direção a minha antiga escola, onde supostamente eu poderia encontrar meus antigos amigos. Chegando na recepção, avistei um zelador cuidando da escola. Perguntei se ele poderia me passar o contato do diretor ou dos coordenadores da escola para que eu pudesse procurar por Davis Everett ou por Drake Horne. Ele então pegou um telefone e me emprestou ele para ligar para o diretor, que felizmente atendeu.

  - Alô? Quem fala é o senhor Ronald Johnson, diretor de escola?

  - Sim, sou eu, quem é e o que gostaria de saber?

  - Meu nome é Steven Halber, gostaria de saber se os alunos Davis Everett e Drake Horne são alunos de sua escola.

  - Everett e Horne... Não, não conheço o aluno Davis, mas Drake foi nosso aluno há cerca de 3 meses atrás, porém inexplicavelmente ele sumiu e nunca mais foi visto sequer por sua família. Mais um caso de pessoas desaparecidas nessa cidade... Enfim, isso é tudo, algo mais que gostaria de saber?

  - Não, era só isso mesmo, obrigado senhor - Digo, desligando o celular e o devolvendo para o zelador. Então pego minha bicicleta e vou atrás da Times Square, ver se algum gárgula iria aparecer por lá como aconteceu da última vez. Passei pelo Central Park e notei que o céu estava muito escuro, com terríveis nuvens de tempestade que eu não fazia ideia do porque estavam ali. Passei os dias dormindo debaixo de um abrigo que eu mesmo havia feito debaixo de árvores Nos dois dias que se passaram, continuei a procura de Davis e Drake, mas ninguém nunca havia ouvido falar deles dois. Notei alguns folhetos de procura ao Percy por ter fugido com sua mãe, provavelmente no dia que ele chegou ao acampamento. Quando era segunda, saí do abrigo e olhei para o céu, e notei nuvens de tempestade muito escuras, espessas e contínuas, bem diferentes das nuvens de tempestades normais, e então uma chuva forte começou a cair. Pensei no que poderia fazer agora, e lembrei de algo que eu havia aprendido no acampamento. Fui em direção à primeira fonte de água que achei e joguei uma moeda que eu havia conseguido no acampamento, chamada dracma. Então pedi para fazer contato com o Sr D e com Quíron, e uma imagem surgiu tremeluzindo acima da fonte, me mostrando os dois jogando.

  - Sr D, Quíron, preciso falar com vocês - Eu disse, enquanto ambos paravam o jogo. Quíron me olhou surpreso, enquanto o Sr D batia na mesa como quem dizia "porque toda vez que eu estou jogando vem esse moleque me atrapalhar?".

  - Qual o problema, Steven? - Pergunta Quíron, vindo na direção da mensagem.

  - Achei minha antiga casa e minha antiga escola, não há qualquer vestígio da minha existência passada. Drake está sumido e Davis nunca estudou na minha escola. Não sei o que fazer agora e falta apenas um dia para retornar ao acampamento. Como anda Percy Jackson?

  - Lembra da missão que lhe passamos antes de você sair? Percy, Annabeth e Grover saíram faz pouco tempo na missão de Percy para devolver o raio-mestre para Zeus antes que ele e Poseidon entrem em uma guerra catastrófica. Os dois pegaram um ônibus e devem estar a caminho de Nova Jersey, se meus cálculos estão certos. Lembre-se, proteja Percy, mas não interfira no curso da missão dele, isso pode resultar em resultados catastróficos. Sua nova missão é ir atrás dele, e ache-o o o mais depressa possível, pois monstros terríveis estarão atrás dele. Boa sorte, Steven - Diz ele, e a mensagem se desfaz. Imediatamente peguei minha bicicleta e fui pedalando o mais depressa possível em direção ao Túnel Lincoln, a passagem mais depressa para Nova Jersey. Me aproximando do Túnel, ouvi um imenso som do outro lado do Rio Hudson e fumaça subindo até os céus. A chuva forte começava a piorar, e atravessei o Túnel o mais depressa que pude. Chegando do outro lado, com medo de ver os três feridos ou até mesmo mortos, avistei o que ainda sobrava do que outrora havia sido um ônibus. Corri para ver se Percy, Grover e Annabeth haviam sido pegos na explosão, mas não encontrei vestígios deles, mas em compensação encontrei pó dourado no chão, o que indicava que eles haviam enfrentado monstros naquele local. Se eles tivessem fugido para algum lugar, teria que ter sido para a floresta, o único local não-movimentado onde eles poderiam ter ido após uma explosão dessas. Entro na floresta e começo a procurar pistas de qual caminho eles poderiam ter seguido, quando percebo que estou em uma parte bem densa da floresta. Ouço o ruído de vários animais ao meu redor, mas um deles me assusta, um uivo bastante familiar. Será que poderia ser... não, não era possível, ele estava desaparecido, e não era noite e nem sequer lua cheia. Continuei andando lentamente ainda atento aos ruídos de animais. Ouvi pios, coaxares, e até mesmo esquilos correndo pelas árvores, mas quando ouvi o uivo pela segunda vez, ele estava muito mais alto e próximo. O dono daquele uivo estava chegando próximo, e quando me dei conta, algo grande e com intensos olhos vermelhos me observava e começava a sair de trás das árvores. Uma enorme garra tirou uma árvore da frente, e pude ver que meu pior medo se concretizava. Diante de mim estava novamente Drake em sua forma de lobisomem, mas como ele poderia estar daquela forma sem estar de noite ou com lua cheia? "Eis que o destino é cruel com você, Steven. Você retorna no tempo para corrigir seus erros e acaba encontrando novamente seu amigo transformado em uma besta irracional. O que fará agora? Irá matá-lo novamente ou será morto por ele? A escolha está em suas mãos, MAUAWHUAWHWAUHAWUAWH". Novamente a voz gélida e metálica ecoa em minha mente. Eu não sabia o que fazer, não queria matar novamente um de meus melhores amigos, mas também não poderia falhar na missão que haviam me dado. Eu precisava proteger Percy, e para isso eu teria que enfrentar Drake. Não tive outra escolha, peguei uma moeda de 50 centavos guardada no meu bolso esquerdo e a transformei na minha antiga espada de prata que eu havia utilizado anteriormente, ou eu deveria dizer posteriormente?

  - Drake, sou eu, Steven. Tente se lembrar de mim, por favor - Eu digo, mas a criatura parte para o ataque como se nunca tivesse me visto. "Você voltou ao passado, ele nunca conheceu você, tolo", diz novamente a voz na minha mente. Então desvio para o lado em um rolamento, porém ele era rápido e conseguiu atingir meu rosto de raspão com suas garras, deixando duas cicatrizes que iam da altura das minhas sobrancelhas até próximo aos meus olhos, que abriram um corte profundo. Sangue começava a descer pelo ferimento e começava a me atrapalhar um pouco com a visão. No ataque seguinte, fui atirado metros para longe, tendo meu corpo colidindo com uma árvore fraca e a derrubando. Eu precisava enfrentá-lo de alguma forma, porém, não fazia ideia de como fazer isso com sangue escorrendo pelos meus olhos e me forçando a fechá-los, bloqueando minha visão. Então, algo pareceu acontecer. Consegui ouvir lentamente os movimentos dele se aproximando de mim, e tive tempo o bastante para desviar para o lado antes dele me atingir e desferi um golpe profundo em seu braço esquerdo, o que parece ter deixado-o atordoado, porque demorou um bom tempo até ele voltar a me atacar, e com apenas um dos braços. Nesse momento, rolei por entre as pernas da criatura e cortei ambas, fazendo-o cair de joelhos no chão. Tudo o que ele podia utilizar agora era o seu braço direito, mas isso não o ajudaria a se aproximar, então me afastei da criatura, limpei o rosto e peguei ambrosia e néctar na mochila, o que me fez melhorar bastante, cicatrizando na hora meu ferimento. Fiquei vendo a criatura que havia sido Drake caído no chão, imóvel, e tudo que pude fazer foi deixá-lo para trás e prosseguir minha missão. Não entendia o porque dele estar naquela forma mesmo durante o dia, mas algo me dizia que eu tinha que deixar isso para depois.

Após andar cerca de meio quilômetro, avistei luzes de neon ao longe, então a floresta não devia se estender por muito mais. Senti um cheiro irresistível de comida, mas tive que me controlar, não podia deixar a fome me tirar do meu objetivo, porém, se eu estava com fome, os três certamente também estariam, então fui em direção às luzes para procurar o trio perdido. Ao sair da floresta, avistei uma estrada deserta de duas pistas. Do outro lado havia uma loja aberta, que parecia a fonte do cheiro de comida. Uma espécie de loja de beira de estrada cercada por várias estátuas esquisitas dizia no letreiro "Empório de Anões de Jardim da Tia Eme". Isso não me cheirava muito bem, e não me refiro a comida. Estátuas com posições esquisitas, tia eme... M... Medusa, a criatura que petrificava as pessoas com o olhar. Se os três estivessem ali, eles estariam em perigo, sem dúvidas. Foi só pensar nisso e quando adentrei correndo o armazém principal, vi aos fundos da construção um menino-bode parecido com Davis com um pedaço de galho do tamanho de um bastão de beisebol, voando ao alto com os olhos fechados com força e indo em direção à Medusa, enquanto Percy estava escondido entre as estátuas e não vi Annabeth. Então, Grover atingiu a Medusa com o galho, o que a fez berrar de dor. Então, para meu espanto, vi Annabeth se tornar visível do meio do nada ao lado de Percy, e ambos começaram a conversar. Enquanto isso, Grover continuava lutando contra a Medusa da forma que podia. Eu tinha que fazer algo para protegê-los, ou estaríamos todos encrencados. Tive então uma ideia maluca.

- Ei, cabeça de minhoca, olha para cá!! - Gritei, e no mesmo momento, aconteceu novamente. O tempo pareceu passar extremamente lento, quase congelado, e então eu fiz o procedimento de Quíron, tirando minha chave de bronze do bolso direito e girando-a 48º no sentido anti-horário, transformando-a em uma bela espada reluzente. Então, imediatamente comecei a correr como se não houvesse amanhã e pulei sobre algumas caixas de anões de jardim do armazém e fui tomando altitude. No mesmo momento que a Medusa virava sua cabeça para minha antiga posição parecendo estar em uma daquelas propagandas de produtos para cabelos, pulei sobre ela e apliquei um corte limpo e seco que separou sua cabeça de seu tronco, e enquanto a cabeça dela caía lentamente, chutei ela um pouco para longe e enquanto o corpo dela caía na minha direção, virei minha espada para trás e a enfiei na altura do peito da criatura, e então o corpo explodiu em pó dourado, enquanto sua cabeça continuava intacta com o rosto virado para o lado oposto do que observávamos dela. Quando o tempo volta ao normal, Percy e Annabeth saem de trás das estátuas na minha direção. Grover também desce do ar e vem na minha direção também.

- Olá, Percy - Eu disse, olhando para a cara de surpreso que ele estava fazendo. Annabeth me olhava com uma cara intrigada e Grover parecia chateado porque eu não o havia deixado brincar de piñata com a Medusa.

- Como você conseguiu fazer aquilo? Correr de forma mega veloz, pular pelas caixas e fazer aquele corte... Você é sensacional!! - Disse Percy, extremamente admirado com minha última manobra.

- Steven? O que você faz aqui, afinal? Éramos pra ser somente nós três na missão, Quíron e o Sr D não nos avisaram que teríamos mais uma pessoa na equipe.

- Quíron e o Sr D me deram uma nova missão no dia do Caça a Bandeira, e ela incluía proteger vocês durante a missão de vocês. Então, aqui estou. Ah sim, acho que devemos pegar aquela cabeça asquerosa, ela pode ter utilidade no futuro. Então, qual a nossa próxima parada? - Pergunto, curioso, enquanto uma voz maligna voltava a falar em minha mente:

- Steven, Steven... se continuar assim acabará descumprindo a condição de não interferir no curso da missão de Percy Jackson. Cumpra logo seu dever e venha me tirar de minha prisão!! - Diz a voz, que me faz gelar a espinha. Ele estava certo, eu havia acabado de quase mudar o curso da missão de Percy e sequer sabia o que isso teria trazido de consequências para o tempo em que eu me encontrava.

- Devemos ir até Los Angeles, descer ao Mundo Inferior e recuperar o raio-mestre que foi roubado por Hades - Disse Annabeth - E... Percy, onde pensa que vai?

- Já volto - Disse ele, indo até o escritório da Medusa e voltando com uma caixa, colocou a cabeça da Medusa dentro dela e escreveu algo na caixa, que desagradou Grover. Percy então colocou alguns dracmas de ouro na bolsa anexa à caixa. Assim que a caixa foi fechada, ela flutuou e sumiu com um "pop". Annabeth então olhou feio para Percy e disse:

- Vamos, precisamos de um novo plano - Disse ela, e então a seguímos para fora do armazém, rumo ao nosso próximo destino.


Continua...

---

Jiyuu no Tsubasa
Flügel der Freiheit
Wings of Freedom
Asas da Liberdade
avatar
Daniel L. Chassot
Moderador Global

Data de inscrição : 23/06/2011
Mensagens : 104

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: The Ultimate Demigod

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum